Um lugar para ficar por Deb Caletti

ISBN: 9788581630199
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2012
Páginas: 272
Onde comprar*:

Um lugar para ficar da autora Deb Caletti é o lançamento de Julho da editora Novo Conceito e trata de um tema pouco explorado em livros jovem-adulto: namoro abusivo.

Clara é uma garota insegura como a maioria das adolescentes, mas assim que conhece Christian ela se transforma. Diferente das outras vezes ela toma a iniciativa e mergulha fundo no romance mais profundo que ela já viveu. Ela gosta muito dele e ele sente a mesma coisa por ela. Mas Clara percebe que ele vai ficando cada vez mais ciumento, mais questionador e controlador de suas atitudes. No começo ela apenas contorna a situação, mas como viver com alguém que você tem medo de compartilhar a sua vida e escolhe todas as frases cuidadosamente antes de dizê-las?

O livro alterna capítulos entre o passado (relacionamento da Clara com Christian) e o presente (a mudança de cidade durante o verão de Clara com o seu pai) e vamos conhecendo aos poucos o que ela viveu com Christian. Por mais que o que faz o rumo da história seja o namoro abusivo e o que isso provocou, outros dramas vão se desenvolvendo. O subtítulo do livro dá a real visão do que podemos ver em Um lugar para ficar: “Alguns segredos são forte o bastante para destruir você“. O manter segredos pode ser ainda mais catastrófico do que contar a verdade.

Deb Caletti escreve em primeira pessoa pela visão da Clara, então preparem-se para alguns draminhas. Me diverti bastante com o pai da Clara, ele é um escritor e faz os mais divertidos comentários sobre a vida. É realmente encantador. Uma pena que aos poucos ele vai perdendo essa “aura” divertida.

O livro é muito legal, com personagens interessantes. Tem uma narrativa leve e que você simplesmente devora o livro, mas não é algo que mexeu comigo. Achei que por ter um assunto forte, poderia tocar o leitor, como em A Lista Negra. Mas não me senti assim. A história é contada superficialmente, a autora poderia ter desenvolvido mais e nos impressionado, mas isso não aconteceu. Mesmo assim me diverti muito e dei três estrelas.

Porém, o que mais me desagradou e que se eu não estivesse gostando da história eu iria fechar e não terminar de ler tão cedo foi o seguinte:

Um lugar para ficar

Um “kkkkkkk” na fala de uma personagem. Pedi que alguém consultasse a versão original do livro e me disseram que estava escrito “Ha Ha”. Deveria soar como ironia, comum em vários livros. Mas um “Kkkkkk”? Por favor! Que coisa horrível! Odeio ler isso na internet e ainda sou obrigada a ler em um livro? Deu muita vontade de desistir de ler, mas como eu disse, eu estava gostando da história.

* Os links de compra deste post renderão ao blog uma comissão em caso de venda realizada.

34 Comentários para “ Um lugar para ficar por Deb Caletti ” | Deixe um comentário »

  • laine
    jul 24, 2012 @ 17:44

    Pam adorei a resenha vou comprar o livro to muito curiosa pra ler, acho muito dofício qualquer livro superar A lista negra esse ano , e estranho depois de ler um livro daquele fico sempre esperando muito dos outros e acabo me decepcionando.

    [Responder]

    Lyn respondeu:

    O que seria doficio? rs

    Eu amei a lista negra, mas acho que algum livro mais feliz o superaria..

    Beijo

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 17:51

    Acho que os “kkkk’s” não são tão alarmantes, já que encontrei coisas piores em livros de nomes renomados como Chuck Palahniuk, autor de Clube da Luta. O livro é um local onde o autor pode se expressar do jeito que prefere, então não acho um grande problema, mas entenda, também não acho válido alterar expressões na tradução, como foi o caso. Voto no “ha ha” original que, em inglês soaria como os ‘kkk’ ou os ‘rs’ típicos do português.

    [Responder]

    Pâm Gonçalves respondeu:

    Não, aqui também usamos o Ha Ha para representar ironia. Tipo.. “rá rá”. Acho que poderiam preservar o “Ha Ha”

    [Responder]

    Israel respondeu:

    Sim, poderiam mesmo. Acho que foi uma infelicidade de uma tradução rápida e sem muita revisão.

    [Responder]

    Fernanda Bianchi respondeu:

    É eu tbém acho, o KKKKK ficou mtu debochado.

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 18:06

    Eu estou com o livro aqui na estante para ler lido tbm, mas pensei que seria uma história cansativa… quando li na sua resenha que você achou divertido eu me surpreendi!
    E realmente, esse negócio de “kkk” foi o fim! Na internet é normal, mas em um livro?! A editora precisa rever isto.
    Beijos,

    Andresa Vidal
    http://www.inbookshelf.com

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 18:12

    Quando eu vi a foto q vc postou no instagram eu fiquei abismada. Acho mt estranho ler esse tipo de coisa em um livro… Espero q editora revise as próximas edições.

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 18:31

    nooooossa
    nada contra kkkkk na internet, mas em livros???

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 19:09

    Eu acho que esse livro pode ser uma história legal,ou não.Vou esperar por mais resenhas,p aí sim,se todos disserem que é bom,eu compro.

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 19:09

    “Gíria” da internet em livro? acho super desagradável, espero que a Novo COnceito revise isso nas próximas edições. Provavelmente foi um erro da tradução, porque com certeza usamos o “Ha Ha” irônicamente aqui.
    Gostei da sua resenha Pam, mas confesso que não tenho muita vontade de ler esse livro.
    Beijos

    [Responder]

  • Suzana
    jul 24, 2012 @ 19:34

    A Sarah Dessen tem um livro esse tema :Dreamland

    [Responder]

  • Ana Paula
    jul 24, 2012 @ 21:14

    Tô na expectativa de ganhá-lo na promoção aqui do Blog.
    Tomara. Uma pena esse “KKK” mesmo. Desnecessário e, para mim, parece que perde a “seriedade” do livro. Um HAHA seria mais adequado. E até pq, mesmo na internet, odeio essa risada. :P

    [Responder]

  • Cassia
    jul 24, 2012 @ 21:35

    Ai, “internetês” em livros ninguém merece!

    [Responder]

  • jul 24, 2012 @ 22:19

    Hum… eu logo que vi que essa capa tinha uma pegada mais séria. :P Esse “kkk” ficou triste, né? Mesmo que fosse “hahaha” em inglês, essa seria a onomatopeia do riso, mas “kkkkk” não é onomatopeia de nada nem aqui nem na China. rs Beijos!

    [Responder]

  • Laís Tomaz
    jul 24, 2012 @ 23:11

    “kkkkkkkkkkk” Foi a morte!
    ¬¬’

    [Responder]

    Fernanda Bianchi respondeu:

    Se fosse no livro “@mor” do Daniel Glattauer até que dava para aguentar né?! rsrss

    [Responder]

  • Rebeca
    jul 25, 2012 @ 08:44

    “kkkkk” só pode ser brincadeira! Não achei válido isso, até porque, não suporto que façam transformações grandes nas traduções de livros! Enfim, gostei bastante da resenha, mas só leria o livro se ganhasse… :)

    [Responder]

  • Vanessa Grandin
    jul 25, 2012 @ 09:24

    Gostei da sua resenha e da sua colocação sobre o “kkkkkkk”…realmente é desnecessário em um livro, poderiam ter deixado o original “hahaha” que teria sido melhor….. mas não foi uma história que me chamou a atenção….

    [Responder]

  • Fernanda Bianchi
    jul 25, 2012 @ 11:17

    Tbém ñ me interessei mtu pela história.
    E sobre o KKKKK foi uma tradução bem infeliz, se fosse usado no livro “@mor” ou no “Amor nos tempos do Blog” talvez seria aceitável.
    Bjus

    [Responder]

  • jul 25, 2012 @ 11:27

    HUASHUSHAUSHSHUS ri demais com essa historia do “kkkkkk” é mesmo uma coisa que não esperava ver em um livro! Mas parece ser interessante a historia! Abraços!
    Murilo – Books All Over You

    http://booksalloveryou.blogspot.com.br/

    [Responder]

  • jul 25, 2012 @ 12:45

    Tenho curiosidade de ler esse livro, mas também não gostei dessa história de ‘kkkk’, me irrita tanto na internet quanto nos livros. Rs..

    http://acheipelocaminho.wordpress.com

    [Responder]

  • Polly
    jul 25, 2012 @ 13:36

    Estou muito curiosa pra ler esse livro. Vai ser uma das minhas proximas compras. Kkkkkkkk é irritante mesmo em qualquer situação, foi um descuido ou talves pensaram que a “galera” iria gostar… Bjos.

    [Responder]

  • jul 25, 2012 @ 14:10

    Olá. Não imaginei que esse livro fosse bom assim, claro…não sei se ele vai me conquistar, mas gostei do que li na sua resenha. Namoro com problemas, ciúmes demais, controle…quem nunca passou por isso…achei interessante.

    [Responder]

  • Letícia Casoni
    jul 25, 2012 @ 15:00

    Acredito que tudo deve ser adquar ao meio de comunicação. Em internet é bastante comum, faz parte da linguagem dela. Agora em livros não tem nada haver.Gostei da resenha, quero ler o livro.

    bjs

    [Responder]

  • Thainá
    jul 25, 2012 @ 20:48

    Achei nada haver esse “kkkk” , acho que em livros nem deve ter isso hahaha seria muito melhor.

    [Responder]

  • Jessica
    jul 25, 2012 @ 22:07

    esse “kkk” foi tenso kkk

    [Responder]

  • jul 27, 2012 @ 00:33

    Linguagem coloquial demais em livros é uma coisa que me irrita muito. A série House of Night não ganhou meu coração por isso. Eu quero muito ler Um Lugar Para Ficar, mas como suas resenhas super me influenciam, já vou com o pé atrás haha
    beijos, Pam!!

    [Responder]

  • jul 29, 2012 @ 14:50

    Eu tenho um grande problema, uso o tal “kkkk” em qualquer coisa. Mas acho que em um livro não fica muito bom, o “ha ha” até poderia ser por a pessoa conseguir pronunciar isso com o som da ironia, já o “kkk” não…
    Em breve estarei lendo esse livro, parece ser interessante.

    Beijos,
    Mandi – Book and Cupcake.

    [Responder]

  • ago 04, 2012 @ 14:37

    Estou com esse livro para ler em casa, mas a história não me parece do estilo que me envolveria…/=
    e realmente, não deveriam ter mudado o “HA HA pelos “KKKKK” essa segunda risada no Brasil é usada para representar risada mesmo, e não ironia, como é o livro original. Enfim, espero que tenha apenas esse “KKKKKKK” no livro, não sei se conseguiria ler um livro com muito internetês.
    Beijos, Camila – Emoções em Páginas

    [Responder]

  • Mariana Borges
    ago 19, 2012 @ 16:40

    Realmente não vemos muitos livros aqui abordando esse tipo tema, na época quando eu fiquei sabendo do lançamento já adicionei na minha lista de próximas leituras porque não tinha lido nada sobre isso.. Eu lembro de ter visto você falando sobre o “kkkkk” no twitter ASUHHAUSAHUSAHU Obrigada pela resenha, beeijos!!

    [Responder]

  • mikaela souza
    nov 21, 2012 @ 12:17

    Que Horror! acho que se eu lesse um livro com esse incomodo “kkkkkkk” teria um ataque cardiaco!
    concordo contigo, foi péssimo!!

    [Responder]

  • jan 02, 2013 @ 17:30

    [...] Um lugar para ficar por Deb Caletti [...]

  • Dyeniffer Ortiz
    jan 30, 2013 @ 00:52

    achei o uso de kkk desnecessário a editora vai ter que modificar nas próximas edições.

    [Responder]

* Campos obrigatórios.

- Para ter sua foto nos comentários, cadastre seu e-mail em Gravatar.
- Comentários com links serão editados, há um espaço apropriado para o seu link no formulário.